Tá me querendo, né?

maxresdefault

#pracegover – um casal beijando-se com fios conectados entre os mesmos.

Reprodução

Para quem não reparou, lá vai uma dica: estamos em tempos digitais. E a geração que nasceu em meio à essa revolução tecnológica (se você nasceu depois dos anos 90, estou falando de você) aprendeu a viver nessa atmosfera e, pouco a pouco, deixar o natural e humano. Aprendemos então a fazer tudo digitalmente e acreditamos saber interpretar o que ronda essa esfera. Pois se dá pra fazer tudo, dá pra dar em cima com curtida, não é?

Você vai dizer que não. Vai dizer que é bobagem e que eu estou viajando. Vai até querer me fazer acreditar nos likes despretensiosos. Eles existem, concordarei. Mas você não tem escapatória: vai concordar que tem like que a gente sente a tensão sexual… Pelo menos foi o que a gente se convenceu de que existe. Nossa geração e todas as nascidas durante e depois da revolução digital e da internet, vêm apresentando um ranço: a dificuldade em interagir e lidar com outras pessoas quando se trata do cara a cara. O ramo da administração já vem nos adiantando essa realidade a muito tempo e a cada dia a certeza aumenta: somos uma geração com dificuldade de nos relacionar com outros seres humanos. 

timidez.jpg

E como ninguém é de ferro, também queremos beijar, dar uns amassos, fazer amor e ser feliz. Foi assim que, dentro de nossas dificuldades sociais, encontramos uma saída: A INTERNET. E olha que eu nem estou falando de Tinder! (Inclusive, pode ler o texto em que falo sobre aqui), e sim das redes sociais comuns: Facebook e Instagram! Todo mundo tem, todo mundo usa e qual a principal ferramenta de interação delas? Isso mesmo, a curtida. E é nessa derrocada que todos nós nos quebramos. Vamos imaginar a situação a seguir: Fulano X gosta de fulano Y. X posta várias fotos e Y curte todas (ou até dá aquele amei). X acha Y bastante atraente e começa a imaginar que todos esses likes só podem significar uma coisa: Y é afim de X. 

Seria tudo muito lindo e legal, mas a vida não é fácil assim. Acreditar que tratar bem ou curtir uma publicação/foto sua é sinal de interesse é um erro. Nem digo que o like com interesse não exista, até porque eu mesmo já usei dessa prática, mas precisamos tirar das nossas cabeças a “realidade” de que esses atos são sinais de interesse. Calma lá, solteirx guerreirx! Permita-se conhecer o outro, ver a vida deste e o que tá rolando, porque dar like e ser cordial representam apenas uma coisa: Que a pessoa gostou do que tu postou e que ela é educada. APENAS. 

Não acredite que o like é interesse em mais nada do que a qualidade dos seus posts. Não acredite que a cordialidade aparentemente excessiva seja mais do que uma boa educação. Averigue melhor a situação! Vá na contramão e aprenda a ser mais sociável e simpático com os outros para se destacar nas redes sociais e fora delas (sim, estou falando daquele trabalho sonhado para ter dinheiro para várias brusinhas). Pare de enxergar a vida pela lente digital e passe a descobrir o que cada um é e faz na realidade. Afinal de contas, nunca vi um beijo sair pela internet!

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s